Mapa mental ou mapa conceitual - qual é o melhor

Mapa mental ou conceitual? Veja qual é o melhor para a sua organização

Para absorver conhecimento e aumentar o rendimento, existem diversas técnicas e métodos de estudo e comunicação. Uma das mais conhecidas é o processo de organização que envolve memorização visual e esquemas gráficos, bem famosos no Instagram, em páginas de estudo e perfis escolares. Assim, os esquemas mais encontrados são: mapa mental e mapa conceitual. Que tal ver a diferença entre eles e escolher o melhor para a sua empresa?

O que é mapa conceitual
O mapa conceitual estabelece ramificações de forma hierárquica | Foto: Comunidade Sebrae

Mapa conceitual ou mental: qual é o melhor?

Em suma, os dois métodos, mapa conceitual e mapa mental, têm objetivos similares para melhorar a produtividade e a atenção. Ambos os esquemas têm o intuito de encontrar uma forma de trabalhar a memorização dos principais tópicos de um tema. Dessa forma, facilitar o entendimento de cada assunto, analisando seus conceitos e princípios.

Sendo assim, a seguir, entenda melhor a definição de um mapa mental e conceitual, as vantagens de cada. Bem como algumas maneiras de serem usados no cotidiano. Depois, decida qual é a melhor maneira para planejar suas técnicas e métodos de estudo e obter melhorias na vida pessoal e profissional. Confira!

Mapa conceitual

Em primeiro lugar, o mapa conceitual permite sintetizar a explicação de um conteúdo em um esquema de ramificação e o uso de palavras-chave. Assim, interligando suas relações de forma estratégica, cronológica ou conceitual. Dessa forma, as ideias e derivações de um tema ficam organizadas e fáceis de entender ou memorizar. Geralmente, combinam conceitos, imagens ou definições que permitem a fixação de um determinado conteúdo.

Para criá-lo, é necessária uma busca por informações que irão te ajudar no assunto. Outras etapas também são importantes como, por exemplo:

  • Reunir seus principais significados e qualquer tipo de dado que trará importância na explicação do seu tema central;
  • filtrar ideias;
  • dar prioridade para as características realmente necessárias no seu esquema;
  • focar nos conhecimentos por ordem de dificuldade, ou seja, do mais básico ao mais avançado;
  • conectar todos os conceitos organizados, sem deixar “pontas soltas”;
  • e revisar os detalhes mais importantes.

Além disso, também é possível criar um mapa conceitual a partir de ferramentas tecnológicas e levar a técnica que antes era feita de lápis e papel para um programa digital.

Os aplicativos e programas mais conhecidos para contribuir nessa estrutura de um mapa conceitual são: SmartDraw, Creately e Xmind.

mapa mental ou mapa conceitual
O mapa mental emana ideias para várias direções | Foto: Lucidchart

Mapa mental

O mapa mental é bem semelhante ao mapa conceitual. Porém, a sua intenção é desenrolar um tópico principal no centro de um diagrama, derivando outros tópicos, conceitos ou informações adicionais que estão relacionadas ao tema primário. Este esquema possui diferentes aplicações e formas de criação, como:

  • Começar com uma imagem ou palavra-chave;
  • adicionar códigos, fórmulas ou símbolos;
  • separar bem suas ramificações a fim de deixar o mapa “limpo”;
  • usar ênfases e cores para distinção dos temas;
  • e conectar todas as ideias por meio de uma linha.

Essa estruturação pode ser utilizada em reuniões com clientes e apresentações de novos projetos, por exemplo. Conforme os assuntos forem surgindo durante a discussão, naturalmente, o mapa mental ganhará forma em busca de uma organização do conteúdo central retratado, com suas características, questionamentos, ações e objetivos.

A organização de um mapa mental também pode ser realizada on-line, com aplicações como: Mindmeister, Bubbl.us e Lucidchart.

Você ficou interessado nesse método e deseja saber mais? Então, confira as dicas do fundador da Organize na Prática, Mauricio Aizawa:

Mapa mental: organização e produtividade

Em conclusão, a principal diferença entre um mapa mental e um mapa conceitual é o esquema de organização. O primeiro desenvolve um conjunto de ideias geradas internamente, tornando sua aplicação mais flexível e distribuindo as suas ideias em todas as direções. Enquanto o segundo foca em apenas um conceito, uma teoria ou um conhecimento tático pré-existente. Assim, gerando ideias externas que tendem a acompanhar um conhecimento acadêmico de aplicação formal e ordem hierárquica.

Por fim, o que você achou das nossas dicas com técnicas e métodos de estudo? Que tal aprender a aplicar hoje mesmo o mapa mental no seu dia a dia? É muito simples e vantajoso!

A Organize na Prática oferece o curso Mapa Mental na Prática, ideal para te ensinar a expandir sua criatividade, organizar suas ideias e ter mais produtividade na vida pessoal e profissional.

Se interessou? Então, Clique aqui e matricule-se!

Por fim, não se esqueça de enviar esse artigo para seus amigos nas redes sociais. Além disso, aproveite para acompanhar conteúdos como este em nosso canal do YouTube, e em nossa página no Instagram!

MATERIAIS DE REFERÊNCIA

  1. Aprenda a criar Mapas Mentais Online totalmente do zero. Clique aqui e conheça o curso.
  2. Ferramenta de Mapas Mentais. Clique aqui e cadastra-se gratuitamente.
  3. Modelo de Mapa Mental Grátis para baixar a qualquer momento. Clique aqui e baixe o seu 
  4. Que tal aprender a organizar seus mapas mentais de forma eficiente com o Evernote? Clique aqui e adquira GRATUITAMENTE o Guia Para Iniciantes
  5. Por fim, organize sua vida pessoal e profissional com esta técnica. Clique aqui para adquirir o curso do Evernote na Prática